Dragão do Mar realiza Sarau Virtual ao Vivo com Mulheres Pretas, nesta sexta (27)

Encerrando o conjunto de atividades artísticas, educativas, poéticas e culturais propostas pelo Museu da Cultura Cearense em celebração ao Dia da Consciência Negra, o coletivo Pretarau apresentará o talento de poetisas negras do Ceará.

     Encerrando o conjunto de atividades artísticas, educativas, poéticas e culturais propostas pelo Museu da Cultura Cearense em celebração ao Dia da Consciência Negra, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura traz, nesta sexta-feira (27) o Pretarau – Sarau das Pretas, com transmissão ao vivo, a partir das 16h, no canal do Dragão do Mar no YouTube.

     Pretarau é uma coletiva inédita e independente de mulheres negras artistas da cidade de Fortaleza e Região Metropolitana, surgido no ano de 2019, por meio da necessidade de um espaço voltado para a celebração de suas produções. Elaborada como uma das atividades que compõem o projeto de mapeamento de poetas negras da cidade de Fortaleza, de forma independente, pela poeta Ma Njanu, que consiste em ações formativas, rodas de conversas, oficinas e debates para jovens mulheres escritoras, o Pretarau – Sarau das Pretas, tem como principal valor e missão protagonizar mulheres poetisas negras, especialmente as pretas que vivem e resistem na periferia.

      Para Ma Njanu, uma grande maioria de saraus emergiram nas periferias, então valorizar esse contexto é reconhecer esses espaços como local de potência artística e cultural, além de promover ações capazes de gerar renda e visibilidade para o movimento de mulheres negras e poetas do Ceará.

Sobre as MC´s

Amy Sousa é vetinha, artista plástica, poeta, atriz e palhaça de Maracanaú. Faz parte da PRETARAU – Sarau das Pretas, coletiva de mulheres negras artistas de Fortaleza e Região Metropolitana. Também faz parte da Cia de Teatro Balbúrdia e Juventude do MTST – Movimento dos Trabalhadores Sem Teto. Tem um projeto chamado Dias Verdes, onde mistura sua existência a desenhos, tirinhas, poesias autorais, vídeos e produções diversas que expressam dores, melancolias, afetos, diálogos, urgências, lutas e o cotidiano dessa vetinha artista na periferia.

Amyla Vidal – nascida e criada nas periferias de Fortaleza, é mãe solo, estudante das artes afrofuturísticas musicais e afins, cantora e compositora de músicas, poemas e poesias marginais.

Ma Njanu – é macumbeira, poeta, artivista visual e kuírlombista periférica. Faz parte da Pretarau – Sarau das Pretas, coletiva de artistas negras de Fortaleza e Região Metropolitana e da Rede de Mulheres Negras do Ceará. Sua criação artística é desenvolvida através de narrativas literárias e imagéticas que envolvam memória subjetiva-individual-coletiva, traumas e curas, celebração de saberes tradicionais do terreiro, do candomblé; crítica e ruptura dos sistemas coloniais da modernidade, produtores de violência racial, econômica, ambiental, política, cultural, de gênero e sexualidade. Publicou a zine Na boca do Dragão da América Latina (2020).

Sabrina Morais – 24 anos, de Maracanaú (CE), é poeta, produtora cultural, atriz e performer. Em suas escritas poéticas e crônicas, aborda temas introspectivos, eróticos e inquietações cotidianas. Faz parte da coletiva de artistas negras de Fortaleza e Região Metropolitana Sarau das Pretas- Pretarau!. E divulga suas escritas no Instagram (@pele.sentidos.temperatura).

Samara Barros – nascida em Fortaleza é mais uma poeta preta, periférica entre tantas, feminista e voz que ecoa revolução. Escreve poesia desde 2017, graças a um projeto de literatura marginal proporcionado pela professora Tuyra Andrade. Já participou de inúmeros saraus e slams e hoje integra o Pretarau, coletivo de mulheres negras e artistas.

Serviço: LIVE “PRETARAU – Sarau das Pretas”
Data: 27/11/2020 (sexta-feira)
Duração: 1h30min
Horário: 16h
Transmissão: youtube.com/dragaodomarcentro
Classificação etária: Livre
Acesso Gratuito

Compartilhe nas redes
Imagem padrão
NCTDS
Artigos: 515

Deixar uma resposta