Mi – Festival Música da Ibiapaba divulga resultado das oficinas da sua 16ª edição

Com 15 oficinas previstas sobre Música e Acessibilidade, Festival Mi divulga nesta quinta-feira (15/7) com as 865 pessoas selecionadas para a formação
Realizado pela Secretaria da Cultura do Ceará (Secult Ceará) e pelo Instituto Dragão do Mar (IDM), a 16ª edição do Mi – Festival Música da Ibiapaba divulga nesta quinta-feira (15/7) o resultado das inscrições realizadas para suas 15 oficinas desta edição virtual com 865 pessoas selecionadas, que puderam escolher até 03 oficinas para participarem.

O resultado pode ser acessado no site www.festivalmi.com.br, bem como nos sites da Secult (www.secult.ce.gov.br) e Editais (www.editais.cultura.ce.gov.br). Em caso de dúvidas, pode-se contatar a Coordenação Pedagógica do evento através do e-mail pedagogicofestivalmi@gmail.com.

O Festival Mi acontecerá entre os dias 25 e 30 de julho com oficinas, shows, palestras, bate-papos e outros formatos de programação no ambiente digital, totalmente gratuito e poderá ser acompanhado através do site www.festivalmi.com.br .

OFICINAS: MÚSICA E ACESSIBILIDADE

Na agenda formativa deste ano, disponibilizou mais de 1.000 vagas em 10 oficinas oferecidas com foco no estudo da Música e 05 oficinas que abordam a Acessibilidade, enquanto caminho democrático e urgente para seguirmos levando a arte e cultura, de fato, a todas e todos. Nomes como o do guitarrista  Nelson Faria, o da primeira mulher a reger bandas sinfônicas no Brasil, Mônica Giardini e do violinista francês radicado no Brasil, Nicolas Krassik são exemplos de professores que entram para a trajetória formativa do Mi. No bloco de oficinas com foco em Acessibilidade, fazem parte do corpo docente a intérprete de LIBRAS paulista, Anne Magalhães, que destacou-se na tradução para LIBRAS de música popular brasileira, hiphop e pop, difundindo nas redes sociais a potência poética e expressiva da Língua Brasileira de Sinais.

As famosas e esperadas oficinas do Mi acontecerão na plataforma Google Meet. A coordenação pedagógica da 16ª edição fica por conta de Heriberto Porto, Arley França e Daina Leyton.

Além das oficinas oferecidas ao longo da programação, 03 oficinas acontecerão na véspera do evento, em caráter especial, de modo a preparar e sensibilizar professores, professoras, profissionais da cultura e pessoas interessadas na acessibilização de conteúdos artísticos.

“É uma forma de contribuir com a questão da acessibilidade cultural nos seus diversos aspectos, proporcionando um fruir artístico mais ampliado para as pessoas com deficiência e isso passa por oferecer oportunidades de qualificação para os profissionais que trabalham no mercado cultural. A música vibra e reverbera em todas as pessoas, sejam cegas, surdas ou com outro tipo de deficiência. Ela é genuinamente democrática. Sendo assim, o Mi segue sua essência de possibilitar, da sua forma, que o público, artistas e profissionais relacionados tenham condições de explorar e levar sua arte, de fato, a todas as pessoas”, aponta Valéria Cordeiro, Coordenadora Geral do Festival Mi e Coordenadora da CODAC/SECULT-CE.

SERVIÇO
Mi – Festival Música de Ibiapaba
de 25 a 30 de julho
www.festivalmi.com.br  

Deixar uma resposta