De onde vem o místico das japamalas

De onde vem o místico das japamalas

Devido ao meu enorme carinho por cada parte deste instrumento que mudou minha forma de levar a minha vida e me inspirou a mudar a vida das pessoas, comecei com um título misterioso, para te repassar a mesma curiosidade de o que são e como funcionam as japamalas. Vamos lá.

O que são Japamalas
Japamalas são terços meditativos, amuletos de proteção que podem ser carregados no pescoço, na mão direita ou na cabeceira da cama. São compostas de elementos naturais como cristais, madeira e sementes e podem variar entre 18 e 108 contas. Ao pé da letra significam: japa – rezar e mala- terço/cordão. Seu surgimento veio do hinduísmo e budismo.
Elas são usadas principalmente em momentos que exigem concentração, como meditação e até mesmo yoga.

Japamalas nasceram para centralizar, e tentar mostrar o caminho. Por isso mesmo não existe fórmula mágica, o místico delas nasce no quanto nos transformamos ao começar a acreditar no seu poder.

O poder das Japamalas
Ninguém disse que seria fácil. Pra mim é um exercício diário e um grande desafio de concentração e resistência. Para seguir o ritual hindu, você precisa repetir 108 vezes (mesmo número das contas) a oração ou mantra para fechar o ciclo, carregar sua mala na mão direita e passar as contas utilizando todos os dedos, menos o indicador, pois os hindus acreditam que este dedo é impuro, por ser o dedo que aponta, julga e diminui o outro.

As Japamalas produzidas com contas em cristais naturais, carregam também o poder de cada um deles, ficando mais fácil de encontrar o seu objetivo na hora de meditar e emanar aquela energia tão boa de se sentir conectado consigo mesmo.

Durante esse tempo em que você se concentra durante a meditação para pular as contas, a cada repetição você entra em um processo interno, doma sua respiração e desbloqueia suas cargas emocionais e até mesmo físicas. Claro que escolher o cristal e o mantra ideal para seu momento é importante, esse é o chamado caminho da intenção.

FOTO: REPRODUÇÃO

O poder da intenção
Em um dos rituais em que participo, uma das guias disse uma vez antes de iniciar a meditação que “de nada adianta emergir sem ter intenção de chegar a lugar algum”. Essa frase me fez refletir sobre muitos pontos na minha vida, inclusive no “efeito” das japamalas.
Para que as japamalas criem o efeito desejado, a mudança que você espera na sua vida com a ajuda dela, você precisa ter intenção.

Gosto de enfatizar sempre que as japamalas têm grande poder de proteção espiritual quando então em uso, no corpo, mas fora dele também é preciso ter estímulo, ativando os cristais para que haja a troca energética necessária em cada um dos processos. Vale lembrar que elas são objetos sagrados e devem ser manuseadas com respeito e gratidão.

Então crie uma rotina para se ouvir, podem ser 20 minutinhos por dia, escolha um mantra que te faça sentir bem, pegue sua mala e tente agradecer. Procure ouvir seu coração, se reconhecer e se aceitar.

O bem sempre vem, que delícia poder carregá-lo conosco.

FOTO: REPRODUÇÃO

Sobre Bianca Novellino

Publicitária, redatora especializada, nascida e criada no meio digital. Metida a artista, rabisco, desenho, tiro fotos e viver pra mim é uma constante referência, até mera conversa de bar. Artes manuais incluem escrever e criar. Prazer, Bianca.

Siga-a no Instagram @biancaoque

Leave a comment

2 Comments

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *