Folclore brasileiro: sim, temos elementos para nossa Disney World. Por Juninho Batista

Folclore brasileiro: sim, temos elementos para nossa Disney World. Por Juninho Batista

Por folclore, entendemos as manifestações da cultura popular que caracterizam a identidade social de um povo.

O folclore pode ser manifestado tanto de forma coletiva quanto individual e reproduz costumes e tradições de um povo transmitidos de geração para geração. Sendo assim, todos os elementos que são parte da cultura popular e que estão enraizados na tradição desse povo são parte do folclore. As manifestações do folclore dão-se por meio de mitos, lendas, canções, danças, artesanatos, festas populares, brincadeiras e jogos. 

O folclore é parte integrante da cultura de um povo e, por isso, é considerado pela Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial, sendo imprescindível a realização de esforços para a sua preservação, há uma vasta riqueza cultural no Brasil, cada região tem suas particularidades e seus encantos, porém é de suma importância a preservação cultural da origem de cada lenda, cada personagem e eu particularmente acho que cada dia que passa as novas gerações estão mais distantes desses personagens, obras são menos adaptadas por canais abertos e assinaturas e na internet ninguém da espaço ou se interessa em apresentar as novas gerações de forma criativa, tantas historias interessantes e bacanas de serem contadas, vejo muito interesse nas culturas que vem de fora como halloween, viagens caras para conhecer personagens da Disney… mas e os nossos? Os conhecemos? Não tem atrativos? Porque não apresenta-los? 

Quero acreditar que novos projetos venham e com eles essa identidade que é tão nossa, que resgata nossa cultura e o princípio cultural de nossas regiões sejam enaltecidos, não nos deixemos entrar nessa energia de que somos um país sem memória, sem história, sem legado e que a cultura é algo menor em nossas vidas, não, não é!

Sem cultura, não há história, não há resgate e nem identidade, vamos agora pra etimologia do folclore pra gente se familiarizar mais e desvendar esse universo maravilhoso de encantos e arte viva.

Folclore, Origem do termo

A palavra folclore tem origem no inglês (sempre com a gente né?)  e é oriunda do termo folklore. Esse termo, por sua vez, foi originário da expressão “folk-lore “, criada por um escritor chamado William John Thoms, em 1846. Em 22 de agosto de 1846, uma carta de Thoms enviada à revista The Atheneum foi publicada. O termo de Thoms baseava-se em duas palavras:

Folk, que significa povo;

Lore, que significa conhecimento, saber.

Assim, a junção das duas palavras, conforme o próprio Thoms, significa saber tradicional de um povo. A palavra proposta de Thoms não foi adotada logo de imediato e só se popularizou quando surgiu a Sociedade do Folclore em Londres, no final do século XIX.

O Folclore e sua História

O folclore enquanto área de estudo começou a consolidar-se a partir do século XVIII, mas se firmou de fato somente no final do século XIX, quando instituições voltadas para estudos nessa área começaram a surgir na Europa e nos Estados Unidos. Seus especialistas consideram que os grandes pioneiros do estudo do folclore são Johann Gottfried von Herder e os irmãos Grimm.Na medida em que o interesse pelo assunto disseminou-se, começaram a surgir sociedades voltadas para o estudo do folclore, sendo a citada Sociedade do Folclore (Folklore Society), fundada em 1878, a primeira delas. Essa determinou que dentro do folclore poderia incluir-se: narrativas tradicionais: contos, mitos e lendas populares; costumes tradicionais tais  como as festas populares e crenças e superstições: saberes relacionados à magia, bruxaria, contos , fabulas  além de linguagem popular, dialetos falados e os jargões populares. Por meio dessa sociedade londrina, o interesse no estudo do folclore espalhou-se, alcançou outros países da Europa, os Estados Unidos e, por fim, chegou ao Brasil. Claro que, ao longo desse processo, e na medida em que os estudos na área avançavam, novas definições surgiram e avanços sensíveis aconteceram .Aqui no Brasil, alguns nomes, como Luís Câmara Cascudo, Mário de Andrade e Florestan Fernandes, destacaram-se no estudo do folclore. O primeiro congresso realizado no Brasil sobre folclore deu-se somente em 1951 há exatos 69 anos atrás ,  sendo realizado no Rio de Janeiro. Um dos debates mais importantes que ocorreram nesse evento foi sobre as características para definir-se o que é folclore, algo que até hoje gera muita discussão entre os especialistas.

Folclore e suas características

As características do que pode ser definido ou não como folclore foram arduamente debatidas por intelectuais europeus e americanos. Esse debate, no entanto, não se encerrou, e aqui no Brasil diversos elementos do que se caracteriza como folclore ou são rebatidos ou são relativizados. Sendo assim, percebe-se que não existe um consenso entre os especialistas, e as características levantadas aqui não são unânimes.

Algumas das características do folclore são:

Origem anônima: Muitos definiram que um elemento para ser considerado folclórico tem de ter origem anônima, mas essa característica tem sido bastante questionada pelos estudiosos;

Transmissão oral: O saber que faz parte do folclore de um povo tem de ser transmitido oralmente;

Popularização coletiva: Tem que se popularizar na cultura de um povo;

Surgimento espontâneo: Os elementos da cultura que formam o folclore surgem de maneira espontânea.

O Brasil, naturalmente, possui o seu conjunto de elementos que formam o folclore brasileiro. É um consenso entre os estudiosos do assunto que danças, festas, lendas, jogos e personagens que compõem o folclore do Brasil são de origem europeia, portuguesa sobretudo, e também indígena e africana. Sendo assim, houve uma fusão de elementos de diferentes culturas. Alguns personagens do folclore brasileiro são o saci-pererê, a iara, o boto, o curupira, entre outros.

Convido a todos a esse rico e delicioso universo, e vamos aproveitar e multiplicar essa ideia com as novas gerações, nós podemos dessa forma fortalecer a nossa cultura, nosso povo, nossa arte e de verdade não tenho o menor preconceito com quem viaja para conhecer personagens enlatados em parques temáticos, ou se divertir com festas temáticas que remetam imediatamente a uma cultura estrangeira, afinal sou mesmo a favor da liberdade de expressão e de ir e vir, só não posso deixar de te convidar para um universo tão e ainda mais fascinante que está aqui e ao nosso alcance, nossa Disney está aqui, BEM VINDO!

Juninho Batista
Produtor Cultural
Siga-o no Instagram: @juninhobatistaprodutor
E-mail: contatoproducoesartistica@gmail.com

Leave a comment

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *