Ocupação Parque Dragão: Artistas do pagode e trap cearense participam de evento gratuito neste sábado (30)

Compartilhe nas redes

A ação é uma parceria entre Biblioteca Pública Estadual do Ceará, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e Centro Cultural Porto Dragão 

Com dois palcos, o “Ocupação Parque Dragão” inicia às 18h, no sábado (30), com o pagode do Grupo Bom Lance, na frente do Centro Cultural Porto Dragão, e segue com apresentações musicais de seis artistas do trap cearense: Henrique Vivazz, Vasc, Gutto, Artugo, Okah e Kaliope. A ação integrada entre os três equipamentos culturais da Secretaria da Cultura do Ceará, geridos em parceria com o Instituto Dragão do Mar (IDM), convida o público para uma agenda cultural nos espaços externos nos arredores dos equipamentos culturais. A curadoria dos shows conta com parceria do Nosso Som, portal cearense independente e sem fins lucrativos que divulga a arte local em sua diversidade. 

O cerimonial ficará por conta da Má Dame, que marca presença na noite apresentando cada artistas de forma diferenciada, alternando presença no palco com os demais artistas. Além da agenda musical, o evento contará com empreendedores locais do Poço da Draga com venda de bebidas e lanches rápidos.


SOBRE A PROGRAMAÇÃO
À noitinha, começa no palco em frente ao Centro Cultural Porto Dragão, às 18h, o pagode do Grupo Bom Lance. Na sequência, no Espaço Rogaciano Leite Filho, localizado abaixo da passarela do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, uma programação intensa segue noite adentro.

CONFIRA AS ATRAÇÕES:

18h – Grupo Bom Lance

19h – Henrique Vivazz

19h30 – Vasc

20h – Artugo

20h30 – Gutto

21h – Okah

21h30 – Kaliope

  • Má Dame assina o cerimonial da noite

Má Dame, fruta dos saraus e movimentos culturais de rua, de Fortaleza, Má Dame se lança através dos versos no Rap e na poesia onde se cria e se refaz. Com letras precisas e flow sagaz, lança em Junho de 2020 o seu primeiro Ep, o No Fio da Navalha. Composto por cinco faixas, o Ep todo soa como um retrato que expõe as fissuras e o desassossego de muitas comunidades e favelas Cearenses. Atualmente segue entre ruas e palcos produzindo e se firmando cada vez mais como mais uma voz de soma necessária para a cena do hip hop brasileiro.

Grupo Bom Pagode, natural da Praia de Iracema, tem mais de cinco anos de estrada tocando nos embalos da noite cearense. A formação atual da banda conta com quatro músicos e uma mulher cantora e cavaquinista à frente da banda – Sâmya Kássia, vocalista, mostra sua força e potencialidade feminina encarando os preconceitos sociais, raciais e sexuais provando que lugar de mulher é onde ela quiser. O Grupo Bom Pagode leva um som diferenciado levando no repertório o samba raiz, pagode, entre outros ritmos musicais abordados pelos jovens.

Vivazz é uma cantora multifacetada que interpreta suas próprias composições. Pessoa trans não-binária e ativista dos direitos LGBTQIAP+. Compositora desde 2016, Vivazz iniciou seus trabalhos na música em 2018 com o single “Algum Lugar”, que conta com participação de Fellipe Lima.

Vasc é rapper, gravou sua primeira música em casa aos 12 anos. Desde 2016, foca no rap em sua vivência musical, tendo como referência Matuê. Já atingiu 18 mil ouvintes no Spotify, além de ótimas visualizações de seus videoclipes no Youtube e citações no portal TrackList da MTV com a faixa “Insetos”.

Artugo, 25 anos, vem trabalhando com música desde 2019, com seu primeiro single. Compõe, produz e mixa suas próprias canções, além de produzir outros artistas e ações culturais na cidade.

Gutto é rapper e poeta da Sapiranga. Começou a cantar e escrever na adolescência em suas aulas de Literatura e Música num projeto na escola. Suas canções falam da sua realidade, da comunidade onde vive. Além da sua carreira musical, desenvolve o projeto “Fé nas Crianças”, com programação cultural voltada para crianças da periferia.

Kaliope surfa pelas estéticas que vão dos anos 2000 (y2k) até os dias atuais. Tudo soa como gatilho para as pessoas de 18 a 30 anos, principalmente as que gostam do universo de séries, filmes e jogos. A maioria das músicas do álbum são enérgicas e com melodias bastante chiclete. A narrativa vai desde ficções a romances reais além de diversas palavras ”inusitadas”que você para e pensa, Eu ouvi isso mesmo? Seu repertório facilmente transmite a energia de grandes festivais. Com uma diversidade de efeitos sonoros e momentos explosivos com refrões e versos que todo mundo facilmente cantaria.

SOBRE O NOSSO SOM

Com início há pouco mais de três anos, o portal surgiu da demanda por apoio de mídias locais com foco em artistas independentes da cidade. Hoje, o Nosso Som é um dos principais portais de música local, com publicações diárias sobre lançamentos de clipes e singles, notícias, eventos, entre outros assuntos voltados para a cultura e arte. Também fazem parte da curadoria das plataformas internacionais de música independente, Groover e Submit Hub, que tem como objetivo avaliar os projetos musicais enviados por artistas independentes. 

SERVIÇO

Ocupação Parque Dragão

Dia 30 de julho, sábado, a partir das 18h

Palco em frente ao Porto Dragão: 18h – Grupo Bom Lance

Espaço Rogaciano Leite FIlho: 19h – Henrique Vivazz; 19h30 – Vasc; 20h – Artugo; 20h30 – Gutto;  21h – Okah e 21h30 – Kaliope

Gratuito

Compartilhe nas redes

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.