Vida rara, por Bruna Mazzer

Se realmente te restasse pouco tempo de vida, qual seria tua atitude?
Você poderia amargar arrependimentos, como em Epitáfio dos Titãs, ou sair pelado na chuva como em O último dia de Paulinho Moska.
Também pode “ser do contra”e fazer como Lenine, em Paciência, que se recusa a aceitar o acelerado do tempo.

Meu amigo e minha amiga, a vida é sim rara… e não tente contestar, pois o tempo corre a passos largos e ligeiros e no final das contas, a corrida finaliza num mesmo ponto para todos nós.

O palco da tua vida é precioso então atue até o apagar da última luz.
Ria, chore, sinta, perdoe, mas não perca tua essência, pois teus olhos lhe serão inúteis se teu coração é cego.

A vida é tão rara… e o tempo é implacável.

Bruna Mazzer Paes de Almeida
Advogada e Consultora Jurídica
Especialista em Direito de Família, Sucessões e Registros Públicos.
Mediadora sistêmica.

Deixar uma resposta