Projeto cearense Terça do Choro celebra repercussão nacional com duas edições especiais em dezembro

Projeto cearense Terça do Choro celebra repercussão nacional com duas edições especiais em dezembro

A Terça do Choro, roda virtual do gênero musical popularmente chamado de chorinho, tem ocorrido semanalmente desde abril de 2020. Foi idealizada pelo violonista Samuel Rocha em parceria com o bandolinista Felipe Bastos em decorrência da pausa das rodas presenciais provocadas pela pandemia de Coronavírus. Após atravessar fronteiras, por um lado inspirando projetos complementares em outros estados, como do violonista Isaque Santos em Pernambuco, e do outro com a participação dos anfitriões no Connect Choro, evento promovido pelo Sydney Choro Club (Austrália) e Club do Choro de Viena (França), a “Terça do Choro” convida oito músicos para duas edições de duas horas (cada) repletas de música popular brasileira nos dias 22 e 29 de dezembro, sempre a partir das 20 horas. Este projeto é fomentado com recursos da Lei 14.017/2020 – Lei Aldir Blanc – por meio da Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor).

Com inserção nos perfis dos anfitriões a roda ocorre às terças da seguinte forma: Felipe Bastos inicia a transmissão ao vivo na sua conta de instagram (@felipimbastos) com dois convidados às 20h, em seguida, às 21h, Samuel Rocha dá início a outra transmissão, em sua conta no instagram (@samuelrocha7cordas), com outros dois convidados.

O evento virtual possibilita conexões com artistas ligados a música instrumental, como destaca Samuel: “Para nossa felicidade desde que iniciamos a “Terça do Choro” conseguimos tocar e ter experiências com músicos de outros estados, como Pernambuco – estado onde nasci e ainda hoje tenho inúmeros amigos no meio musical e que, inclusive, já participaram do projeto -, Paraíba, Minas Gerais e Paraná.”. Felipe completa: “Ao longo dos meses essa conexão permitiu (tanto para nós, músicos, quanto para o público) conhecer novos repertórios autorais de artistas de uma nova geração.”.

Nas próximas duas edições o público acompanhará uma experimentação sonora rica em referenciais. De acordo com Samuel, verdadeiros clássicos do Choro e composições de sua autoria serão interpretadas por músicos da nova geração, inclusive canções desenvolvidas no período de isolamento social. Felipe, também anfitrião, comenta sobre a liberdade do som para quem toca e para quem assiste. Improvisações fazem parte do repertório.

A Terça do Choro no dia 22 traz os convidados: Iracemadus, grupo de choro e samba da cidade de Fortaleza, e Rairton Lima, bandolinista da Orquestra Bandolins do Ceará, na transmissão de Felipe; Cleylton Gomes, flautista do grupo Murmurando, e Paulo Moura, clarinetista no projeto “Bordando o Sete”, na de Samuel. 

Já a edição do dia 29 traz os convidados: Mateus Albano, flautista e aluno do curso técnico em música do IFCE, e Mateus Freire, pandeirista no projeto “Bordando o Sete”, com intermediação de Felipe; Ailton Santana, flautista e estudante de bacharelado em música na UECE, Eric Diógenes, bandolinista e integrante da Orquestra de Bandolins do Ceará, e Leuciano Rodrigues, clarinetista, com Samuel. 

Os anfitriões

Samuel Rocha é violonista (sete cordas) desde os 15 anos de idade e atualmente se dedica em fortalecer o choro e a música regional. Assina a idealização e direção musical do grupo “Murmurando”, do show “Um toque cearense” (duo com Nonato Lima), “Orquestra bandolins do Ceará”, do seu show autoral “Bordando o Sete”, entre outros. Já dividiu palco com artistas renomados e recebeu premiações por suas composições. Foi convidado a ser professor em eventos de música e ganhou espaço (apresentações) em locais nacionais de valorização da música instrumental.

Felipe Bastos é instrumentista e compositor. Nasceu em uma família musical e aos oito anos começou a tocar teclado, dedicando-se ao cavaquinho aos dez. Mas foi aos doze que conheceu o bandolim, instrumento que faz parte de sua rotina diária e compromissos profissionais. Tocou em programas de rádio e TV e se apresentou em diversos palcos da cidade, inclusive com músicos de destaque na cena instrumental. Com seu bandolim de dez cordas, tem parceria com Samuel no projeto “Bordando o Sete”. Atualmente se dedica a gravação do seu primeiro álbum instrumental.

A “Terça do Choro” em Recife

A Terça do Choro que começou em Fortaleza não só recebeu músicos (convidados) de Pernambuco como teve participação direta dos mesmos, por intermédio de Isaque Santos, violonista brasileiro e residente na cidade de Recife. As “lives” passaram então a iniciar com Isaque, tendo continuidade com Felipe e sendo finalizadas por Samuel, de forma a criar rodas de choro mais extensas. De acordo com Isaque, o projeto proporcionou o surgimento de novas amizades e o conhecimento de novos talentos e repertórios, o que contribui para o fortalecimento da cena da música instrumental brasileira e em particular o choro.

Serviço

Evento: Terça do Choro

Dias 22 e 29 de dezembro – às 20h no instagram de Felipe Bastos (@felipimbastos) e às 21h no instagram de Samuel Rocha (@samuelrocha7cordas)

Leave a comment

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *